ūüďĄ Artigos

Artigos científicos e outros textos


ūüĎČ Para acessar os textos, basta clicar em seus respectivos t√≠tulos

Revista Fragmentos de Cultura (PUC Goi√°s), vol. 33, 2023, Qualis A2.

Resumo: Este artigo considera a rela√ß√£o entre a espiritualidade e a sa√ļde emocional do indiv√≠duo, levando em conta a influ√™ncia das comunidades de f√© nessa rela√ß√£o, tanto para a cura e aporte emocional, quanto para o seu adoecimento. O pressuposto b√°sico √© que comunidades de f√© evang√©licas constituem-se como contextos ambivalentes, uma vez que tanto contribuem para o bem-estar emocional dos indiv√≠duos que as constituem, como tamb√©m operam com discursos e procedimentos que fazem as pessoas adoecerem emocionalmente. Nota-se que, no movimento evang√©lico, o fator comunit√°rio esvaziou-se para dar lugar √† valoriza√ß√£o da coletividade. Conquanto a viv√™ncia comunit√°ria da f√© no interior de uma igreja evang√©lica represente a melhora da pr√≥pria subjetividade, √© observ√°vel tamb√©m que h√° fatores que s√£o altamente destrutivos no aspecto psicol√≥gico. Identificar esses fatores e oferecer respostas poss√≠veis, se coloca como caminho poss√≠vel para a humaniza√ß√£o dessas comunidades de f√©.


Revista Caminhos de Di√°logo (PUC Paran√°), jan.-jun. 2023, Qualis B2

Resumo: Este artigo oferece uma conceitua√ß√£o de experi√™ncia m√≠stica em uma perspectiva crist√£, buscando situar ou deslocar o assunto para o contexto protestante. Toma como exemplo uma biografia em particular, a do pregador avivalista e te√≥logo, Charles G. Finney (1792-1875). As religi√Ķes em geral s√£o marcadas pela presen√ßa de experi√™ncias m√≠sticas profundas que foram fundamentais para dar forma a elas. Este artigo tamb√©m destaca caracter√≠sticas similares entre a m√≠stica tal como descrita por autores cat√≥licos com a experi√™ncia pentecostal, o que abre o precedente para que se entenda essa experi√™ncia pentecostal ou experi√™ncias pentecostais como experi√™ncias m√≠sticas ou que minimamente guardam rela√ß√£o com a no√ß√£o de experi√™ncia m√≠stica. N√£o √© estranho para os autores deste artigo que Finney n√£o deve ser considerado um pentecostal, j√° que isso implicaria um anacronismo. A despeito disso, Finney √© um nome importante tanto para a teologia pentecostal como tamb√©m para a pr√≥pria identidade do pentecostalismo. Isto em fun√ß√£o tanto de sua pr√≥pria experi√™ncia com o batismo com o Esp√≠rito Santo (e com a descri√ß√£o que ele deu dela) como tamb√©m pela sua obra teol√≥gica e de vida.

ūü怒O DESAFIO DE ENSINAR HIST√ďRIA NUMA PERSPECTIVA DIAL√ďGICA

Revista Recima21 - Revista Científica Multidisciplinar, 2023, Qualis B1

Resumo: O presente trabalho considera alguns desafios que marcam o ensino de Hist√≥ria no Brasil, mas levando em conta, sobretudo, o desafio em particular de ensinar a disciplina numa perspectiva de dialogicidade. Ensinar em perspectiva dial√≥gica requer do professor maior dedica√ß√£o e amplia√ß√£o da sua forma√ß√£o. Essa amplia√ß√£o se d√° n√£o apenas pela forma√ß√£o continuada realizada na mesma √°rea de forma√ß√£o, mas buscando-se aportes epistemol√≥gicos tamb√©m em outras √°reas, correlatas ao seu campo espec√≠fico de forma√ß√£o. O pressuposto b√°sico para se defender essa dialogicidade se assenta, sobretudo, em dois fatos amplamente verific√°veis e j√° constatados por grandes pensadores como, por exemplo, Humberto Eco, Edgar Morin e outros: 1. O pr√≥prio conhecimento, hoje, √© dial√≥gico, de modo que n√£o √© mesmo poss√≠vel operar de modo rigidamente restrito numa √°rea de conhecimento sem dialogar com outras e, 2. A pr√≥pria realidade, na P√≥s-modernidade, √© complexa e resultado de uma conflu√™ncia de saberes e compet√™ncias, o que a torna igualmente complexa. Compreender essa realidade complexa, portanto, pressup√Ķe um conhecimento complexo. O ensino de Hist√≥ria, portanto, levando em conta esses fatores, poder√° ser mais contextualizado e conectado com a realidade, da qual participam os discentes. Isto possibilita uma reflex√£o mais profunda das condi√ß√Ķes hist√≥rico-sociais que s√£o determinantes sobre o sujeito, mas que o sujeito pode contribuir para modificar para melhor.



ūü怒METODOLOGIAS ATIVAS APLICADAS AO ENSINO TEOL√ďGICO

Revista Teológica Doxia, Janeiro a Junho de 2021, Qualis A4

Resumo: O presente artigo reflete sobre as Metodologias Ativas e sua utilidade e aplicabilidade no contexto do ensino teol√≥gico. Reconhecendo a necessidade de se considerar a especificidade de cada contexto em que se pretende aplicar metodologias e tecnologias pedag√≥gicas, este texto lan√ßa um olhar sobre a utilidade e necessidade da utiliza√ß√£o das Metodologias Ativas no ensino teol√≥gico, um tipo de ensino ainda fortemente marcado pelo modelo tradicional de ensinar que, por sua vez, inibe a participa√ß√£o-intera√ß√£o do discente e acaba por supervalorizar o papel do professor. Todavia, o que vem sendo demonstrado ao longo do tempo, por meio dos resultados do trabalho de pensadores da Educa√ß√£o como Jean Piaget e Paulo Freire, por exemplo, √© que a intera√ß√£o √© fundamental para o aprendizado. E as Metodologias Ativas valorizam o papel do aluno reconhecendo-o como protagonista nesse processo.




Revista Teológica Doxia, 2020, Qualis A4

Resumo: A subjetividade humana √© constru√≠da a partir de espa√ßos comunit√°rios, na rela√ß√£o com o outro, a partir do outro. A Igreja, naturalmente, ocupa um lugar primordial neste processo formativo. Ela n√£o deve ser encarada como uma esp√©cie de "ilha" isolada da sociedade. Ela tamb√©m lida com problemas sociais graves e sente seus reflexos, como no caso da depend√™ncia qu√≠mica. Cumpre investigar de que modo suas a√ß√Ķes contribuem efetivamente para a preven√ß√£o do uso de psicoativos na medida em que vai auxiliando na forma√ß√£o da subjetividade humana atrav√©s de suas diversas a√ß√Ķes que desenvolve, como a Educa√ß√£o Crist√£, por exemplo.




Protestantismo em Revista, Julho a Dezembro de 2018, Qualis A3

Resumo: O presente artigo faz uma an√°lise do Document√°rio Santa Cruz, gravado em 1999, que retrata o desenvolvimento de uma pequena igreja de matriz pentecostal que opera em Santa Cruz, uma comunidade carente do Rio de Janeiro. O Document√°rio, dirigido por Jo√£o Moreira Salles, acompanhou durante o per√≠odo de um ano o desenvolvimento da igreja "Casa de Ora√ß√£o Jesus √© o General", e registrou diversos momentos dessa pequena comunidade eclesial. O objetivo do presente texto √© observar como a intera√ß√£o religiosa dessas pessoas e sua rela√ß√£o com a Leitura Popular da B√≠blia ir√° gerar benef√≠cios sociais concretos em suas pr√≥prias vidas e na comunidade inteira, respondendo assim √† pergunta [...].




Revista Bona Conscientia, 2019.

Resumo: A Educa√ß√£o Crist√£ pode atuar como eficaz mediadora entre a leitura popular da B√≠blia e a Hermen√™utica, que √©, simultaneamente, arte e ci√™ncia. S√£o apresentadas aqui tr√™s bases fundamentais para que se exer√ßa uma pedagogia eficaz nas igrejas: envolvimento, coer√™ncia na interpreta√ß√£o e uma did√°tica simples/eficiente. O fazer educativo crist√£o requer per√≠cia hermen√™utica, mas tamb√©m sensibilidade ao discente e em como ele aprende. Seus valores e sua maneira popular de ler a B√≠blia precisam ser respeitados nesta intera√ß√£o que ocorre no ambiente crist√£o de ensino. Estabelecendo-se assim esta rela√ß√£o de respeito m√ļtuo, o ensino muito ter√° a ganhar com isso. O educador e a educadora crist√£os colocam-se assim como mediadores tamb√©m entre as diretrizes da Hermen√™utica para uma interpreta√ß√£o b√≠blica respons√°vel e a forma viva como as pessoas se apropriam dos textos do Antigo e do Novo Testamentos pela leitura popular da B√≠blia, visando construir pontes, aprimorando a percep√ß√£o
e, por conseguinte, a aplicação do Evangelho à vida dos discentes.




Revista de Estudos Pentecostais Assembleianos (REPAS), Agosto de 2020.

Resumo: O presente artigo objetiva tra√ßar rela√ß√Ķes poss√≠veis entre o conte√ļdo teol√≥gico dos Livros de Sabedoria e a Educa√ß√£o Crist√£. V√°rias obras voltadas √† Educa√ß√£o Crist√£ em geral tra√ßam paralelos com alguns textos do Antigo Testamento, mas quase sempre n√£o se explora muito os livros que est√£o nesta categoria: J√≥, Salmos, Prov√©rbios, Eclesiastes e Cantares de Salom√£o [...].




Revista Batista Pioneira, Dezembro de 2018, Qualis A3

Resumo: O presente artigo visa a provocar reflex√£o em torno do di√°logo, com vistas a uma a√ß√£o concreta, entre duas √°reas vitais √† atividade e √† vida da Igreja: a Educa√ß√£o Crist√£ e a Hermen√™utica. Aquela, muito presente nas comunidades eclesiais atrav√©s dos programas de ensino b√≠blico desenvolvidos por elas, e esta mais conhecida no contexto da Academia Teol√≥gica, enquanto disciplina, mas ainda uma necessidade premente na aproxima√ß√£o da Igreja ao texto b√≠blico, o que demanda, via de regra, a sua interpreta√ß√£o. Para tanto, faz-se necess√°rio primeiro definir, ainda que de maneira sucinta, ambas as √°reas, com vistas a entender suas contribui√ß√Ķes e relev√Ęncia para a Igreja, para, em seguida, tra√ßar a rela√ß√£o poss√≠vel entre Educa√ß√£o Crist√£, por meio do trabalho do educador crist√£o, com a Hermen√™utica, e isso de forma concreta. Reconhece-se que, num certo sentido, ensinar as Escrituras, bem como as verdades crist√£s oriundas dessas mesmas Escrituras, √© um fazer hermen√™utico. Requer um trabalho hermen√™utico, em grande medida. Cumpre perguntar de que modo esta rela√ß√£o pode ser efetivada, e √© a esta pergunta que o presente texto visa a responder.




Revista Via Teológica, Junho de 2018, Qualis B2

Resumo: O Movimento Pentecostal no Brasil cresceu muito em d√©cadas anteriores e mesmo agora, ainda que num ritmo n√£o t√£o acelerado como antes, continua demonstrando um crescimento consider√°vel. Se apresenta de maneira multifacetada, de modo que √© at√© desafiador defini-lo. Com efeito, n√£o h√° possibilidade de se encarar o Movimento Pentecostal como um bloco monol√≠tico. Todavia, o presente artigo toma como refer√™ncia o Pentecostalismo Cl√°ssico, iniciado no Brasil na d√©cada de 1910, tendo seus antecedentes nos Estados Unidos, em Azuza Street, em Los Angeles, no avivamento que se tornou mundialmente conhecido a partir de 1906. Em sua grande expans√£o, o Movimento Pentecostal vem produzindo reflex√£o teol√≥gica em √°reas importantes para a Teologia Sistem√°tica, como a Pneumagiologia e Escatologia e outras √°reas como a Educa√ß√£o Crist√£ e a Teologia Contempor√Ęnea, aqui destacadas. Essa contribui√ß√£o se nota no consider√°vel volume de produ√ß√£o bibliogr√°fica em torno destes temas e na pr√°xis eclesial das igrejas pentecostais, que tem dado √™nfase √† estas doutrinas. Com efeito, essas doutrinas s√£o fundantes do pensamento e pr√°tica pentecostais. Por mais que o Movimento Pentecostal possa sofrer cr√≠ticas com rela√ß√£o ao desenvolvimento de uma teologia pr√≥pria, √© fato que houve, j√° nos primeiros anos, uma preocupa√ß√£o consider√°vel com aspectos teol√≥gicos, doutrin√°rios e esfor√ßos foram empreendidos em dire√ß√£o √† um fazer educativo crist√£o. Pode ser considerado ainda o impacto que o Movimento Pentecostal causou, em diversas denomina√ß√Ķes, levando te√≥logos de v√°rias confiss√Ķes, a discutirem temas relacionados √† Teologia que outrora n√£o ocupavam tanto espa√ßo na pesquisa teol√≥gica. Este artigo procura destacar algumas dessas contribui√ß√Ķes trazidas assim pelo Pentecostalismo.




Revista Ensaios Teológicos, Junho de 2017, Qualis B1


Resumo: Considerando a pr√°xis educativa no contexto crist√£o como fator propiciador da leitura, ensino e assimila√ß√£o pr√°tica dos textos b√≠blicos, este artigo se prop√Ķe a analisar a rela√ß√£o entre a Educa√ß√£o Crist√£ e a Hermen√™utica e a Exegese, vistas aqui como disciplinas teol√≥gicas que incidem direta e indiretamente na vida das pessoas. Considera a fundamentalidade dessa rela√ß√£o e as contribui√ß√Ķes que podem ser extra√≠das entre as disciplinas, permitindo transdiciplinaridade. Se a Hermen√™utica e a Exegese d√£o o "suporte t√©cnico" √† Educa√ß√£o Crist√£, na medida em que fornecem o instrumental para a busca do sentido do texto, a Educa√ß√£o Crist√£, por sua vez [...].




Resumo: Já se passaram muitos anos, mas ainda sinto muitas saudades da "igrejinha"... Profundamente melancólico, insistentemente saudosista, inelutavelmente reflexivo, não consigo deixar de me comover com algumas lembranças preciosas. Essas lembranças são minhas, é verdade, mas os valores que elas evocam são comuns a muitos de nós, especialmente para aqueles que conheceram uma forma de Pentecostalismo puro, simples, sincero e marcante [...].



ūüďĄ APOSTILA: BREVE AN√ĀLISE DA EP√ćSTOLA DE TIAGO

Resumo: Esta pequena ep√≠stola, sem d√ļvida, √© um dos documentos mais importantes para o Cristianismo ao longo dos s√©culos. Martinho Lutero muito se equivocou ao referir-se √† ela como "Ep√≠stola de Palha"[2]. Embora sua leitura tenha sido essencialmente cristol√≥gica, e justamente por n√£o encontrar refer√™ncias diretas a Cristo na ep√≠stola, ele a reputou como sendo de menor import√Ęncia. Mas o fato √© que Tiago tem um valor impreter√≠vel para o Novo Testamento e se constitui como um breve tratado sobre a pr√°tica da vida crist√£. De forma simples, mas profundamente direta, Tiago, "servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo" (1.1), exp√Ķe quest√Ķes vitais [...].



ūüďĄ PERSPECTIVAS PARA A LIDERAN√áA CRIST√É NA P√ďS-MODERNIDADE

Resumo: Lideran√ßa √© um tema sempre recorrente e em alta, mas no que concerne ao ambiente eclesial, n√£o se pode negar que ainda se convive com muitos arca√≠smos e obsolesc√™ncias. Ouvimos pastores mais velhos insistirem naquele famoso chav√£o: “No meu tempo n√£o era assim…”. Infelizmente, √© comum convivermos [...].



ūüďĄ O LIVRO DE J√ď (ESBO√áO DE SERM√ÉO)

Resumo: Nesta breve análise do livro de Jó, serão considerados alguns aspectos importantes dessa obra ímpar, como a sua estrutura literária, sua autoria, data de composição e sua mensagem. Mas inicialmente, é necessário discorrer sobre a literatura de sabedoria do Antigo Testamento, onde se situa o livro de Jó [...].






Nenhum coment√°rio:

Postar um coment√°rio

Escolas de interpretação escatológica

  Existem tr√™s linhas ou escolas de interpreta√ß√£o da doutrina das √ļltimas coisas que s√£o comumente estudadas entre os evang√©licos. √Č inter...